Workshop sobre competitividade na mineração

 

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento do Brasil, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) está implementando o projeto de pesquisa “Acumulação de Capacidades Tecnológicas e Competitividade Industrial no Brasil: Análise Empírica e Recomendações para Ações de Políticas Públicas e Estratégias Empresariais”, o qual inclui os setores de mineração e siderurgia, que considera estratégicos para a economia brasileira.

De acordo com a entidade, a pesquisa – que é apoiada e financiada pela FGV/EBAPE e tem a supervisão do Prof. Paulo N. Figueiredo e do Prof. Maurício Canêdo Pinheiro —“objetiva examinar o papel da inovação tecnológica no fortalecimento da competitividade industrial do Brasil. Especificamente, com base em metodologias inovadoras, tem-se o intuito de gerar novas evidências e novas explicações que possam substanciar o desenho ou redesenho de políticas públicas orientadas ao fortalecimento da competitividade industrial do Brasil, especialmente da indústria de mineração e da siderurgia”.

Uma das primeiras atividades da pesquisa é a realização de dois workshops nos dias 10 e 11 de março, no Rio de Janeiro, reunindo 20 convidados cada um, com representantes de empresas, institutos de pesquisa, órgãos do governo e organizações setoriais. Durante os workshops serão discutidos temas considerados relevantes para os dois setores do ponto de vista da inovação e competitividade, tais como: obstáculos/desafios institucionais e fiscais à manutenção dos investimentos, à importação de tecnologias, bem como insumos; à realização da prospecção e pesquisa, de custos logísticos, além da infraestrutura física para execução de atividades tecnológicas correntes e futuras.

A FGV informa que o evento é fechado para convidados, devido à limitação de espaços. Para maiores informações, contate pnf@fgv.br (link sends e-mail) ou mauricio.pinheiro@fgv.br

Publicidade

Associe-se

Conheça as vantagens para se tornar um associado da ANEPAC.

Cadastre-se

Acompanhe as novidades e ações da ANEPAC.