Governo retoma obras de 4,2 mil moradias do Minha Casa Minha Vida

 

Unidades beneficiarão cerca de 16 mil pessoas em sete Estados. Foram investidos R$ 263 milhões.

 

O Ministério das Cidades, junto à Caixa Econômica Federal, retomou as obras de 4.232 unidades do Minha Casa Minha Vida faixa 1 que estavam paralisadas.

No valor total de R$ 263 milhões, as moradias beneficiarão cerca de 16 mil pessoas nas cidades de Rio Branco, no Acre; Jequié, na Bahia; Marituba, no Pará; e outros municípios em Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. 

No anúncio da retomada das obras, nesta quinta-feira (23), o ministro das Cidades, Bruno Araújo, afirmou que é uma prioridade dar continuidade às construções. As obras retomadas estão com percentual de interrupção entre 75% a 90%.

De acordo com o ministro, as paralisações aconteceram devido à má gestão de recursos e falta de planejamento do governo afastado, que reduziu o orçamento do programa de R$ 16 bilhões para R$ 2,21 bilhões em um ano. A meta deste ano para as faixas 2 e 3 é chegar a 400 mil contratações, das quais 220 mil já foram feitas, enquanto o faixa 1 será retomado quando as obras paralisadas forem concluídas, disse.

“A simbologia desse evento de hoje é a primeira sinalização, cumprindo determinação do presidente Michel Temer, da manutenção da importância desse grande programa que, além de realizar o sonho de milhões de brasileiros, possibilita esse esforço da sociedade brasileira de retomada do emprego”, comentou.

 Atualmente, há cerca de 77 mil unidades da faixa 1 com obras paralisadas: 53.216 do Minha Casa Minha Vida Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), 9.106 do Minha Casa Minha Vida Entidades e 15.357 do Minha Casa Minha Vida Rural.

Araújo adiantou que anúncios da continuidade de obras serão feitos em breve. "A decisão nossa é que possamos fazer o anúncio de cada retomada à medida que nós tivermos a segurança dos recursos e fluxos necessários para que paralisações como essa não venham a acontecer e nós não geremos nenhuma dificuldade na relação com nossos contratados", garantiu.

O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, reiterou o compromisso do banco com o programa e com os outros projetos do Ministério das Cidades. “É uma sinalização importante não só para o setor da construção civil, mas principalmente para essas mais de 4 mil famílias que vão rever a expectativa de terem essas unidades concluídas”, completou.

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério das Cidades e da Caixa.

Publicidade

Associe-se

Conheça as vantagens para se tornar um associado da ANEPAC.

Cadastre-se

Acompanhe as novidades e ações da ANEPAC.